Saiba mais sobre o Jejum Intermitente

O Jejum Intermitente é um dos assuntos mais polêmicos da nutrição. Essa estratégia de emagrecimento tem como estratégia intercalar períodos de jejum com períodos de alimentação.

Dessa forma, o corpo utiliza os estoques de gordura, ocasionando em uma perda de massa gorda. Além disso, quando passamos a fazê-lo, temos uma sensação de controle maior em relação à alimentação.

Quais os efeitos colaterais do jejum intermitente?

Existem algumas religiões que utilizam o jejum como método espiritual para purificação. Na antiguidade, essa estratégia era utilizada como um remédio muito importante.

Atualmente, é útil principalmente para o controle da insulina e da obesidade.

Porém, é possível notar alguns efeitos indesejados  durante o jejum, como:

Queda de cabelo

A queda de cabelo pode ser causada por diversos fatores. Inicialmente, é importante descartar causas hormonais (como alteração  dos hormônios tireoidianos) e deficiência de micronutrientes (como biotina, vitamina B, vitamina D, vitamina A etc.). Na vigência de uma alimentação rica do ponto de vista nutricional, a probabilidade da deficiência de micronutrientes diminui.

Existe uma causa extremamente comum denominada eflúvio telógeno. Nele, o que provoca a queda de cabelo é algum evento estressante e isso inclui além do próprio emagrecimento, qualquer grande mudança na dieta Nesse caso, a queda geralmente começa de três a seis meses após o início da mudança alimentar.

O eflúvio é autolimitado, ou seja, tem uma duração predeterminada de dois a quatro meses, caso não haja outra doença associada

Mau hálito

Dependendo do tempo de jejum, o aparecimento de  mau hálito é comum, sendo causado pela presença de cetonas. É frequente nessas ocasiões a descrição de um gosto metálico na boca e o esbranquiçamento da língua.

A cetona é um subproduto do metabolismo (queima) dos ácidos graxos (gordura). Ou seja, é um sinal indireto de que você está usando gordura como fonte principal de energia.

Para aliviar esses sintomas, você pode beber água e escovar os dentes com mais frequência durante o dia, usar um raspador de língua e gomas de menta para aliviar o mau hálito.

Constipação

A constipação pode ser comum durante períodos de jejum mais prolongados. É importante lembrar que é esperado a diminuição da quantidade e frequência das evacuações, já que a quantidade de alimento ingerido diminui.

Caso apresente concomitantemente desconforto ou dor, existem algumas medidas simples que podem aliviar os sintomas, tais como:

  • melhorar a hidratação;
  • reposição de sal;
  • praticar atividades físicas;
  • uso de citrato de magnésio (em algumas situações).

Insônia

Pessoas que decidem fazer jejuns mais prolongados (a partir de 20 horas), podem sentir insônia durante os primeiros dias. Isso acontece devido ao aumento da liberação de noradrenalina. É comum, inclusive, que ocorra um aumento na frequência cardíaca nesse período. A tendência é que isso se normalize com o tempo.

Medidas simples como desligar aparelhos eletrônicos uma hora antes de dormir, banhos de sal Epsom para ajudar seu corpo a relaxar e o uso de magnésio noturno, podem ajudar em um sono de maior qualidade. Eventualmente, pode ser necessário a diminuição do tempo de jejum.

Diarreia

Vimos que a constipação pode ocorrer  em quem decide seguir essa estratégia. Porém, algumas pessoas podem ter diarreia nas primeiras semanas. Isso também ocorre para quem segue jejuns mais prolongados. A queda da insulina com a diminuição da retenção hídrica pode ser uma das causas.

Atentar-se a qualidade da alimentação no período alimentado, a reposição de fibras como psyllium e, em alguns casos, a diminuição do tempo de jejum, podem ser medidas efetivas para a diminuição dos sintomas.

Azia

Não sabemos de fato o motivo pelo qual algumas pessoas apresentam azia durante o início da prática de jejum.  Essa sensação ocorre quando o ácido presente em nosso estômago entra em contato com o esôfago devido a um refluxo.

A obesidade aumenta o refluxo gastro-esofágico por conta da grande quantidade de gordura abdominal, que aumenta a pressão no abdômen, facilitando o retorno do suco gástrico.

Sendo o jejum intermitente uma estratégia muito eficaz para o emagrecimento, a tendência é que essa azia melhore com o tempo. Além disso, é necessário tomar alguns cuidados e evitar:

  • álcool;
  • excesso de cafeína, e
  • chocolate.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Amaury Baião

Amaury Baião

Amaury é professor de educação física formado em licenciatura plena pelas Faculdades ESEFAP. É técnico em musculação pela FEPAM, técnico em treinamento funcional pelo Instituto Mauro Guiselini e desde 2007 é personal trainer. É também coach de corrida para iniciantes e atletas. Se você curte atividades físicas, treinamento, musculação e dicas de alimentação, quer ficar informado sobre as corridas da região e adora um desafio, acompanhe a coluna Papo de Personal onde compartilharemos tudo sobre o mundo fitness. Bora movimentar-se!

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial. Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.