Portais de acesso da cidade e revitalização da fonte luminosa da Praça da Bandeira

Revitalização do acesso principal da Praça da Bandeira com reforma da fonte luminosa custará R$1.137.674,42

Uma enxurrada de críticas é constantemente direcionada a administração pública municipal pelo abandono de um dos nossos mais importantes monumentos.

A boa notícia é que já foi definida a empresa que fará a execução dos serviços de revitalização do acesso principal da Praça da Bandeira com a reforma da fonte luminosa, atualmente abandonada.

A empreiteira vencedora do processo licitatório, que inclui fornecimento de materiais, equipamentos e mão de obra, é a FNC Construtora, de Carmo de Parnaíba, em Minas Gerais, pelo valor de R$ 1.137.674,42.

A última reforma da fonte luminosa ao lado da Igreja Matriz de São Pedro aconteceu no ano de 2010. 

A fonte luminosa está desativada por causa de um entupimento ocorrido no filtro. A prefeitura informou, na época, que o entupimento foi causado pelo acúmulo de folhas que caíram na fonte.

Por causa desse entupimento, a água utilizada na fonte parou de circular e se acumulou, criando focos de proliferação para mosquitos. Devido ao acúmulo de água, e do entupimento do filtro, a prefeitura desativou a fonte.

No ano de 2016 a ativação da fonte chegou a ser anunciada pela administração municipal.

Em 2019 o prefeito Caio Aoqui disse que os trabalhos para reativação da fonte seriam analisados após a nomeação do novo secretário Municipal de Obras. Foi feita também uma indicação para remodelação completa da Fonte Luminosa da Praça da Bandeira em março de 2021.

A Prefeitura de Tupã também abriu processo licitatório para contratar a empresa que fará a construção de dois portais, que simbolizem e se tornem símbolo arquitetônico e turístico do município

A proposta é antiga, mas nunca foi viabilizada. Ainda no governo de Waldemir Lopes, um portal chegou a ser iniciado, nas proximidades da Casa dos Velhos, mas a obra não foi concluída.

Agora, um dos portais será instalado no trevo principal, na Rua José Enrique Ari Fernandes, Vila das Indústrias, provavelmente no mesmo local.

O outro será no Parque Ecológico, Córrego Afonso XIII, entre as ruas Aviador Júlio Dualibi e José Molica. 

Os portais terão custo de R$ 421.774,31, mas o valor será investido quase que totalmente no portal do trevo principal, que custará R$ 400.097,52; sendo o valor assim dividido:

  • administração local, R$ 13.685,44;
  • serviços preliminares, R$ 6.913,81;
  • infraestrutura, R$ 24.209,31;
  • supraestrutura, R$ 33.546,80;
  • estrutura metálica, R$ 177.097,05;
  • instalações elétricas, R$ 21.617,44;
  • passeio público, R$ 8.070,24;
  • muro de arrimo no trevo principal, R$ 8.820,20;
  • e melhoria no pavimento do portal de entrada, R$ 106.137,23. 

Muito mais simples, a construção do portal do Parque Ecológico, na baixada da Avenida Tamoios, custará R$ 21.676,79, sendo a obra dividida da seguinte forma:

  • serviços iniciais, R$ 942,25;
  • infraestrutura, R$ 9.682,15;
  • supraestrutura, R$ 4.963,46;
  • e estrutura em madeira, R$ 6.088,93.

Fontes: Diário Oficial do Município / Jornal Diário de Tupã / Prefeitura Municipal

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial.

Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo
entre em contato com nossa equipe comercial.