Rodrigo Agostinho representará Câmara dos Deputados na Cúpula da ONU sobre Mudanças Climáticas

(Brasília, 03 de novembro de 2021) – Coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista do Congresso Nacional, o deputado federal Rodrigo Agostinho (PSB/SP) irá à Escócia nesta semana para representar a Câmara dos Deputados na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP-26). A 26ª edição do evento começou na última segunda-feira (1º) e se estende até o dia 12 de novembro, em Glasgow.

SEGURANÇA CLIMÁTICA

O deputado é autor da PEC que inclui a segurança climática na Constituição Federal. A intenção é que a garantia “ao meio ambiente ecologicamente equilibrado e à segurança climática” seja incluída no artigo 5º da carta magna.

Para Agostinho, a proteção do meio ambiente já está clara na Constituição, mas o mesmo precisa ocorrer com a agenda climática, principalmente com a realização da COP 26.

Durante a missão oficial, o deputado manterá agenda extensa com membros governamentais de outros países e com parlamentares estrangeiros. Estarão presentes chefes de Estado de todas as maiores democracias do mundo para debater e negociar soluções de avanço na pauta ambiental.

O parlamentar paulista, que tem experiência em conferências internacionais, terá reuniões para tratar de assuntos correlatos como o aumento do desmatamento, desregulamentação ambiental, liberação de agrotóxicos e mercado de carbono.

DESMATAMENTO ZERO

“A contribuição mais relevante que o Brasil pode dar para amenizar os efeitos das mudanças climáticas é o desmatamento zero. Não podemos permitir que haja mais afrouxamento da legislação sob o risco de assistirmos cada vez mais eventos com severas consequências ao meio ambiente. Nós perdemos 1,5 milhão de hectares de florestas por ano. É muito. Precisávamos levar uma nova meta climática, não para 2050, mas sim metas de curto, médio e longo prazos”, alerta o deputado.

PROTAGONISMO

“O Brasil não está fazendo seu dever de casa. O desregramento ambiental tem sido uma marca e isso está cobrando um preço elevado para nosso país lá fora”, lamenta o parlamentar. “O Brasil é para ser o grande líder nesse processo. Sempre lideramos as negociações internacionais de clima. Não se pode continuar fazendo maquiagem verde. O Brasil deveria ser o grande protagonista, é para ser o país que vai receber o maior número de investimentos”, pondera o deputado.

RETROCESSO

O relatório anual de emissões de CO2 (Emissions Gap Report) divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) traz uma análise das contribuições das 20 maiores economias do mundo (G-20). O Brasil é o único país que apresenta retrocesso, o que configura violação do Acordo de Paris.

Na Câmara dos Deputados, além da PEC de Agostinho tramita projeto que prevê a criação de um mercado voluntário de créditos de carbono. Crédito de carbono é um certificado que atesta e reconhece a redução de emissões de gases do efeito estufa (GEE), responsáveis pelo aquecimento global.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial. Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.