Se seu negócio ainda não aceita cartões, aproveite a guerra das maquininhas

Nos dias de hoje é impensável um negócio não possuir uma maquininha de cartões para aceitar cartões de débito e crédito. E não importa o seu tamanho: pode ser um cabeleireiro, uma barraquinha de cachorro quente, uma loja do bairro… Se você não aceita cartões, você está deixando de faturar.

E este é um bom momento para adquirir ou trocar a sua maquininha de cartões. Com a abertura desse mercado, que ocorreu há alguns anos, surgiram diversos concorrentes mas em 2019 a corrida esquentou ainda mais. A guerra agora é pelas taxas de venda.

Quando você passa um cartão em uma maquininha, é descontada uma taxa sobre a venda. Essa taxa varia dependendo do tipo de cartão (débito ou crédito), do tipo do estabelecimento (comércio, restaurante, prestador de serviços, etc) da bandeira do cartão (cartões Elo geralmente tem uma taxa maior) e também da empresa que fornece a sua maquininha. Cielo e Rede, por exemplo, são as que geralmente possuem as maiores taxas, juntamente com o Pagseguro com a sua Moderninha.

Existem muitas opções de maquininhas a sua disposição. Mas não atente-se somente às maquininhas que passam propaganda na TV. Pesquise, compare, solicite informações sobre as taxas cobradas e se for o caso troque sem medo. Existem várias opções de maquininhas menos conhecidas e menos populares mas que podem lhe oferecer excelentes taxas – e quanto menor for a taxa, mais lucro pra você.

Mas preste atenção a algumas pegadinhas que algumas dessas empresas podem usar contra você:

  • Verifique se a oferta possui algum tipo de permanência mínima (por exemplo, 12 meses) ou faturamento mínimo mensal (por exemplo, 5.000 reais).
  • Preste atenção ao detalhamento das taxas. Não adianta muito, por exemplo, oferecer uma taxa super baixa para passar cartão de crédito sem parcelar, e uma taxa super alta para passar em 2x ou mais.
  • Tome especial cuidado com as taxas de parcelamento no que diz respeito ao adiantamento de parcelas. Falarei disso em mais detalhes num próximo artigo.

Use o seu poder de barganha como consumidor para conseguir as melhores condições, e nunca acredite na conversa de vendedores ou de representantes comerciais. Procure sempre ler o contrato da maquininha para saber se as condições realmente são favoráveis a você.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Denis Gomes Franco

Denis Gomes Franco

Denis Gomes nasceu em São Vicente mas sua família se mudou para Tupã em 1990. E por aqui encontrou boas oportunidades para empreender, criando uma empresa de comunicação e fazendo um pouco de tudo para ajudar pessoas de todo o Brasil a resolverem seus problemas através de produtos e serviços sob medida. Atua nas áreas online com sites e ecommerce, gráfica rápida e produtos personalizados. Nas horas vagas, gosta de responder dúvidas e auxiliar pessoas em assuntos ligados a empreendedorismo através da internet em sites e fóruns de discussão.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial. Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.