Tiago Matias enfatiza que empresa de ônibus está no vermelho e quer colocar a culpa sobre ele

Desde a semana passada muitos boatos circulam na cidade sobre um provável desligamento da empresa de ônibus TRANS VLP devido a um discurso realizado pelo vereador Tiago Matias durante sessão na Câmara Municipal.

Alguns fatos foram apurados, documentos levantados, além de depoimentos de usuários dos coletivos.

De acordo com o Vereador a empresa de ônibus está no vermelho e usou de má-fé ao protocolar na Prefeitura um pedido de desligamento alegando que o discurso do Vereador seria o estopim para o fim da prestação de serviço.

Porém a própria empresa alega “falta de recursos para manter o equilíbrio financeiro pela prestação do serviço” e que vem encontrando dificuldades para operar já há algum tempo.

Que mês após mês a empresa procurava a Prefeitura para informar os dados e a situação que se encontrava e ninguém apresentou soluções.

Um contrato deficitário que acarretava prejuízos recorrentes para a empresa e os subsídios repassados pela Prefeitura não eram suficientes.

Acontece que a empresa tinha uma expectativa com a demanda de passageiros na cidade que não se confirmou.

Inclusive moradores da cidade já fizeram baixo assinados contra a empresa circular.

Matias comprovou com mensagens, telefonemas e visitas presenciais as reclamações da população em seu gabinete: “Eu quero deixar bem claro que minha atitude foi a de defender o idoso que precisa do transporte público. Eu estou comprando uma briga pelo bem estar dos mais velhos que já enfrentam diversas dificuldades no dia a dia e ser maltratado em uma condução que deveria ser gratuita a toda população é inaceitável”, disse.

Ele ainda afirmou que o dever de fiscalizar tudo o que ocorre no município é dos Vereadores, que vai continuar e jamais cruzará os braços em qualquer situação.

Empresa TRANS VLP

A própria empresa disse que trabalhar em Tupã não compensa financeiramente e que está passando por grandes dificuldades.

Só no ano de 2018 cerca de R$ 600 mil reais foram repassados para empresa e em 2019 já foram R$ 400 mil reais pela Prefeitura Municipal para custeio mensal mais o valor dos passes de idosos e estudantes.

Outro ponto também é que a empresa perdeu o prazo para entregar os pontos de ônibus reformados conforme está no contrato com a Prefeitura.

“Se a empresa romper o contrato com a CIDADE eu espero que ela pague a multa contratual, nenhuma empresa fecha um contrato de R$ 600 mil anuais cancela o contrato e sai sem ao menos pagar o prejuízo”, enfatizou Matias.

Projeto de Lei

Segundo o estatuto do idoso pessoas com idades acima de 65 anos não pagam passagens em transporte público. A lei é federal, porém existe uma abertura onde os municípios tem o poder de definir essa idade para 60 anos.

Em Tupã não existe lei específica, então a lei vigente no município é que passageiros com menos de 65 anos paguem normalmente o transporte.

“Vou protocolar hoje um projeto de lei complementar na Câmara dos Vereadores para transporte gratuito para idosos a partir de 60 anos” contou Tiago.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial. Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.