Sniper, atirador de elite da Polícia Militar entra em ação: sequestrador é morto e reféns são salvos

Um homem que fazia passageiros de um ônibus reféns na Ponte Rio-Niterói na manhã desta terça-feira, 20, foi morto por atiradores de elite da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.

O sequestro se iniciou por volta das 5h30 e durou cerca de quatro horas.

Os passageiros foram libertados – nenhum deles ficou ferido.

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Militar, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Corpo de Bombeiros cercaram o veículo que está parado na altura do Vão Central.

Viaturas dos bombeiros chegaram ao local por volta das 7 h 10 min.

O homem, que se identificou como policial militar para entrar no ônibus, não fez nenhuma demanda específica para liberar os reféns.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), disse mais cedo, em sua conta no Twitter, que acompanhava o sequestro do ônibus e estava em contato direto com o comando da Polícia Militar. Para Witzel, “a prioridade é a proteção dos reféns”.

Em entrevista a mulher de um dos reféns contou que o marido lhe avisou do sequestro. “Sempre roubam carteira e celular, mas esse tipo de coisa nunca aconteceu”.

Sequestro do ônibus 174, em 2000

A ocorrência desta terça-feira fez não só os cariocas como os brasileiros relembrarem o sequestro ao ônibus da linha 174, no Jardim Botânico, na zona sul do Rio, há 19 anos.

Transmitida pela televisão ao vivo para todo o País, a ação durou mais de quatro horas e terminou com a morte de uma passageira – a professora Geísa Firmo Gonçalves – e do sequestrador Sandro Barbosa Nascimento.

Fonte: Portal Terra

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial. Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.