Tupã suspende atividades em academias, igrejas e bares

Medida entre em vigor neste sábado (18/07) e se estenderá até o próximo dia 25 de julho

A Prefeitura de Tupã divulgou nesta quinta-feira (16/07) novas medidas de enfrentamento ao Coronavírus. As novas ações anunciadas pelo prefeito Caio Aoqui e pelo secretário municipal de Saúde, Miguel Ângelo de Marchi e pelo secretário de Assuntos Jurídicos, João José Pinto, foram definidas após o aumento de óbitos e de casos confirmados, provocado pelo surto da doença no asilo Casa Emanuel.

Somente nos últimos dias, 5 idosos atendidos na instituição morreram de Covid-19 aumentando para 8 o total de mortes causadas pela doença em Tupã desde o início da pandemia.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Miguel Ângelo de Marchi, para tentar frear o avanço da doença a prefeitura editou o decreto municipal 8.813/2020, que traz medidas restritivas para diversos setores da economia local nos próximos 8 dias.

Segundo o decreto, que entra em vigor neste sábado (18) e se estenderá até o próximo dia 25 de julho, durante o período determinado o fechamento de bares e conveniências, que poderão manter o atendimento somente através dos serviços de drive thru e delivery. O decreto também proíbe a consumação de produtos ou formação de aglomeração no entorno destes estabelecimentos.

O decreto ainda proíbe pelo mesmo período o funcionamento de academias de dança e de ginástica, instituto de pilates, espaços de crossfit e similares. 

Ainda segundo o decreto, estão proibidas neste período de 8 dias a realização de quaisquer tipos de eventos, encontros, cultos ou reuniões religiosas na modalidade presencial. Os demais setores, como comércio, restaurantes, salões de beleza continuam funcionando normalmente, seguindo as exigências do decreto 8.676.

Já os supermercados poderão manter as atividades normalmente, mas deverão intensificar o cuidado sanitário, com novas exigências para entrar no estabelecimento. 

Além de proibir a entrada de crianças até 12 anos os supermercados vão limitar a entrada de apenas um membro por família no estabelecimento, além de providenciar a higienização das mãos de todos os clientes que adentrarem no local, bem como dos equipamentos utilizados nas compras após o uso.

Os supermercados também devem limitar a ocupação em 30% da capacidade máxima do estabelecimento. Já os supermercados maiores, com movimentação diária superior a 100 pessoas, também serão obrigados a realizar a verificação de temperatura corporal, impedindo a entrada de pessoas em estado febril.

O novo decreto estabelece ainda que em cumprimento ao artigo 32 do Código Sanitário do Estado de São Paulo (Lei Estadual nº 10.083) em conjunto com o artigo 1º da Lei Municipal nº 3.780, as agências bancárias devem realizar a sanitização de suas instalações na forma recomendada na Nota Técnica nº 34/2020 (SEI/COSAN/ANVISA) com a periodicidade que for indicada pela autoridade municipal de Vigilância Sanitária.

O secretário de Saúde, Miguel Ângelo de Marchi, explicou que as novas medidas restritivas têm por objetivo reduzir a circulação do vírus na cidade e combater o risco de novas contaminações.

“Infelizmente verificamos um grande aumento de internações hospitalares na rede pública e privada de saúde. E isso exige de nós uma resposta rápida. Por isso decidimos suspender as atividades desses setores por 10 dias esperamos reduzir o nível de circulação do vírus na cidade, evitando que a situação se agrave e novas pessoas sejam contaminadas, o que certamente provocaria um verdadeiro colapso na nossa rede hospitalar ”, explicou.

Já o prefeito Caio Aoqui pediu a compreensão e a colaboração de todos os setores que estão sendo diretamente atingidos pelas novas medidas restritivas e explicou que a medida é necessária para manter a doença sob controle em Tupã.

“Apesar do aumento de casos confirmados e de óbitos por coronavírus ser reflexo de um problema localizado, no caso a Casa Emanuel, sabemos que o coronavírus possui um grande poder de propagação e contaminação. Por isso temos que ter coragem de adotar medidas mais drásticas, suspendendo as atividades temporariamente naqueles setores que apresentam maior risco de disseminação da doença”.

Ele lembrou novamente que a adoção das novas medidas está embasada na decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, que autorizou o município de Tupã a disciplinar o retorno da atividade econômica local, desde que sejam mantidas as medidas sanitárias de bloqueio da pandemia e a capacidade de atendimento do sistema de saúde local em eventual aumento dos casos suspeitos ou confirmados da doença.

Caio destacou ainda que o decreto anterior já previa a possibilidade de suspender temporariamente a flexibilização do comércio quando a taxa de ocupação hospitalar aumentasse consideravelmente.

“Não gostaríamos de ter que suspender o funcionamento de qualquer setor que seja. Mas temos que adotar as medidas drásticas sempre que for necessário porque a nossa prioridade sempre será a saúde e a vida da nossa população. É somente dessa forma, recuando temporariamente sempre que houver aumento de óbitos ou internações pela doença, que vamos continuar mantendo a doença controlada e preservando tudo que conquistamos até o momento”, concluiu Caio.

Veja o novo decreto:

Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial.Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.