Centro de Controle de Zoonoses mantém serviços de rotina com restrições

Objetivo é oferecer serviços essenciais em meio à pandemia

O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), mantido pela Secretaria Municipal de Saúde, informou que os serviços essenciais realizados pelo departamento estão mantidos de forma restrita, seguindo as medidas preventivas para evitar a disseminação do novo coronavírus na cidade.

De acordo com o responsável pelo CCZ, Robison Luis, os serviços mantidos no momento são: busca e captura de escorpiões; visitas para fiscalização e combate à leishmaniose; e castração de cães e gatos machos e fêmeas. Robison ainda enfatizou que os horários de atendimento estão reduzidos e que as buscas e capturas noturnas estão suspensas.

“Sabemos que alguns trabalhos realizados pelo CCZ são muito importantes, logo foram mantidos com redução do horário de atendimento para das 7h às 13h, revezamento das equipes e intensificação da proteção individual e da higienização dos ambientes do Centro; para garantir a saúde da população e dos animais”, enfatizou.

Robison também destacou que, devido à pandemia, a Campanha de Vacinação Antirrábica foi suspensa no mês passado, porém já atingiu mais de 2 mil animais. “Assim que o isolamento social acabar, programaremos o retorno da Vacinação Antirrábica, para que mais animais possam ser imunizados”, informou.

O responsável ainda salientou que as restrições são importantes para evitar o contágio do novo coronavírus, preservando a saúde da população e dos servidores. Robison também disse que os interessados podem agendar os atendimentos e serviços pelo telefone.

“Para realizar o agendamento, recomendamos que entre em contato pelo telefone (14) 3404-2202. Para agendar os serviços, basta informar o RG, comprovante de residência e verificar um horário disponível. A sede do departamento se situa na vicinal Tupã-São Martinho (próximo ao aterro sanitário)”, ressaltou.

Importância da castração de cães e gatos

O serviço de castração no ano passado atingiu cerca de 900 animais, sendo aproximadamente 300 machos e 600 fêmeas. Segundo Robison Luis, este procedimento é importante para a saúde dos animais e evita o abandono ou crescimento demasiado de animais de rua.

“A castração evita crias indesejadas, aumenta a expectativa de vida dos animais, evita fugas, reduz o crescimento exagerado da população animal, diminui o abandono e estes ficam menos suscetíveis a doenças. Este procedimento também minimiza os riscos de os humanos contraírem doenças transmitidas por animais”, explicou.

Recomendações para o combate ao escorpião e à leishmaniose

O responsável pelo CCZ também explicou que é fundamental a participação da população para o combate à leishmaniose e escorpiões. Ele destacou que o isolamento social faz com que a população permaneça mais tempo em casa, logo, acidentes com escorpiões podem aumentar, caso os munícipes não contribuam no combate a estes animais. 

“Em meio à pandemia, é fundamental buscar a segurança e saúde no interior das residências. Por isso, o combate ao escorpião e à leishmaniose é muito importante para o bem-estar da população durante o isolamento social. Para isso, pedimos que a população evite o acúmulo de materiais de construção, entulhos e materiais inservíveis que possam se tornar esconderijos destes animais, além de também evitar o acúmulo de matéria orgânica, combatendo a leishmaniose”, comentou.

Buscas e capturas de escorpiões

De acordo com Robison, caso o munícipe encontre algum escorpião em sua residência, é fundamental a notificação e solicitação de busca e captura, para evitar acidentes e localizar possíveis novos esconderijos destes animais na vizinhança.

“Caso a população encontre algum escorpião, é muito importante a notificação da presença deste animal, solicitando a busca e captura para evitar acidentes. A busca também é feita nas casas vizinhas, para prevenir novos casos nas proximidades do local notificado”, complementou.

Vacinação Antirrábica

O responsável pelo CCZ também explicou que a vacina antirrábica é a única forma de prevenção contra a raiva e que esta doença pode passar para o ser humano. Segundo Robison, a vacinação é a melhor maneira de prevenir a raiva e preservar a saúde dos animais e da população.

“Ainda que a doença seja considerada incomum nos dias de hoje, infelizmente, os animais infectados não sobrevivem na maioria dos casos. Por isso a vacinação é tão importante para a segurança dos tutores, dos cães e gatos”, destacou.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial. Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.