Prefeitura alerta sobre o uso e descarte correto de máscaras

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, alerta toda à população sobre o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) em locais públicos e estabelecimentos com grande circulação de pessoas. A Pasta também enfatiza sobre o descarte correto destes EPIs e as formas mais eficazes para a utilização de máscaras cirúrgicas e caseiras.

De acordo com a Secretaria, o descarte de EPIs dos profissionais da Saúde e da população devem ser feitos de maneiras diferentes. As Unidades de Saúde são orientadas à descartarem os EPIs em sacos brancos, para que sejam facilmente identificados pelos serviços de coleta e manuseados com cautela. Já a população deve descartar as máscaras de proteção junto ao lixo orgânico.

A chefe de setor de Vigilância Sanitária, Gisele Porteiro, explicou a importância de toda a população conhecer as maneiras corretas para o descarte dos materiais de proteção. “Com as recomendações do Ministério da Saúde, para que toda a população utilize EPIs em tempos de pandemia, é de extrema importância que haja orientações para o momento do descarte também, já que estes equipamentos podem estar contaminados. Desta forma, é recomendado que as máscaras sejam embaladas em sacos plásticos e jogadas junto aos resíduos orgânicos em lixeiras com tampas, para que não tenha contato com outra pessoa”, contou.

Gisele ainda ressaltou que não há necessidade dos materiais descartados serem marcados pelos munícipes para a identificação dos coletores de lixo, assim como é nas Unidades de Saúde, que utilizam sacos de coloração diferente para separar os materiais.

Ainda segundo a chefe da Vigilância, de acordo com as orientações passadas pela Agência Nacional de Vigilância em Saúde, as máscaras cirúrgicas devem ser priorizadas para os profissionais que trabalham na linha de frente no combate ao COVID-19. Porém, caso a população tenha acesso à estes equipamentos, além do descarte correto, todos devem se atentar ao tempo de uso, que é recomendado por no máximo 2 horas, assim como as máscaras caseiras.

“Segundo as orientações, a vida útil das máscaras depende muito de como são utilizadas ao decorrer dos dias. Máscaras de algodão e elastano, que são as mais recomendadas, devem ser utilizadas de forma que estejam em perfeitas condições, evitando sujeiras, rupturas no material e espaços nas laterais. Já as máscaras que forem confeccionadas em Tecido Não Tecido (TNT) devem ser descartadas após o uso, assim como as cirúrgicas”, explicou.             Além disso, para o manuseio das máscaras, é recomendado que haja higienização das mãos com água e sabão ou álcool 70%, antes e depois de tocá-las. Já a lavagem das máscaras caseiras, após o uso, deve ser feita separadamente com água e sabão neutro e deixar de molho por cerca de 20 à 30 minutos. Após secar o material, é necessário que a pessoa passe ferro quente na máscara e a guarde em um recipiente fechado.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial.Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.