Uso correto do capacete

O uso de motocicletas faz parte do dia a dia da maioria da população e o capacete é um equipamento obrigatório que aumenta a segurança dos motociclistas, tanto motoristas quanto passageiros.

Antes de iniciar seu trajeto lembre-se de checar se o capacete está fixado à cabeça, preso ao queixo por meio da cinta jugular, a qual jamais poderá estar frouxa, e com a viseira abaixada.

Se a cinta jugular não estiver ajustada, em caso de impacto existe grande chance do capacete sair da cabeça.

Capacete preso corretamente na jugular

É comum ver entregadores, motoboys, em nossa cidade fazendo mau uso do capacete, usando como se fosse um boné, sem afivelar a cinta jugular devido à facilidade de tirar e colocar o capacete com rapidez.

O uso da viseira também é muito rejeitado pelos motociclistas, mas é ela que impede a entrada de fumaça, insetos ou pequenos objetos como folhas de árvore, que podem causar acidentes. A viseira só pode ser levantada quando a moto estiver parada e na sua ausência é obrigatório o uso de óculos de proteção específico para moto, não podendo ser substituído por óculos de sol ou outros.

As viseiras permitidas são a cristal, fumê light, fumê e metalizada, porém as viseiras escuras só podem ser utilizadas durante o dia. Conduzir utilizando viseira fumê durante o período noturno é uma infração leve.

Ao comprar um capacete novo verifique se ele tem certificação do Instituto Nacional de Metrologia (INMETRO) e faixas refletivas (olhos de gato). Tanto a falta da certificação quanto a ausência das faixas refletivas é uma infração grave.

Certifcado do Inmetro

Quatro são os modelos de capacete regulamentados no Brasil: o integral (fechado), o misto (com quexeira removível), o modular (de frente móvel) e o aberto (sem a proteção para o queixo).

Fechado, misto, modular e aberto

Os capacetes fechados são mais seguros do que os abertos pois além de proteger o crânio protegem também a região da boca e do maxilar.

O capacete não tem prazo de validade e sua troca depende da frequência de uso e da conservação, por isso é importante ficar atento no estado do capacete.

Ele deverá ser trocado sempre que sofrer algum impacto forte mesmo que não haja danos visíveis.

Quando o capacete fica muito velho, a espessura da espuma interna diminui, o que deixa o capacete folgado, comprometendo sua fixação na cabeça e ele poderá virar com o vento, causando acidente.

A viseira também deve ser trocada de vez em quando, sempre que tiver riscos ou arranhões que atrapalhem a visão do motociclista.

Manter o capacete limpo contribui para a conservação do equipamento e você poderá utilizar detergente neutro e esponja para fazer a limpeza e produtos automotivos como cera auto brilho e silicone para dar acabamento.

Não usar o capacete ocasiona processo administrativo e suspensão do direito de dirigir.

Nunca deixe seu capacete pendurado no retrovisor da moto ou em cima do banco quando for se ausentar, pois furtos de capacete são bastante frequentes.

Existe muita diferença de preço entre os capacetes. Marcas importadas como AGV, Shoei e Arai podem ser caríssimas.

Isso não significa que um capacete que custa dez vezes mais irá te oferecer dez vezes mais proteção. Assim como roupas, capacetes também têm grife e as marcas importadas utilizadas pelos campeões da Moto GP como Valentino Rossi 46 são caras por usarem alta tecnologia e pagarem altas taxas de importação, além de seus grafismos exclusivos.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Imprimir

Sobre o autor

Marcio Jorge

Marcio Jorge

Marcio Jorge é formado em Direito, Inglês e Mecânica de Motos. É apreciador de motos de alta cilindrada, viagens, música, cerveja e é colecionador de cachaças!

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial.

Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo
entre em contato com nossa equipe comercial.