Idoso com câncer que ganhou roda de samba no hospital recebe alta em Marília: ‘A música ajudou’

Servidor público realizará tratamento paliativo junto à família. Ele admite que o ‘evento musical’ promovido pela equipe do HC o ajudou a voltar para casa após 65 dias de internação.

Servidor público José da Penha, o “Seu Zé”, durante a roda de samba em quarto no HC de Marília: “Aqui não deve ser local só de lágrimas” — Foto: Arquivo pessoal

O servidor público José da Penha, o “Seu Zé”, que ganhou a visita surpresa de uma roda de samba dentro de seu quarto no Hospital das Clínicas de Marília (SP), teve alta médica e pôde voltar para casa após 65 dias de internação.

O paciente de 63 anos, que estava internado na unidade para o tratamento paliativo de um câncer, admite que a realização de seu sonho de poder tocar pandeiro com músicos profissionais o ajudou a ganhar forças para melhorar de saúde e poder retornar para casa, onde está desde o último dia 23 de agosto.

“O samba no hospital me ajudou muito, pois naquele ambiente é comum a gente ter pensamentos pesados, de dúvidas. E poder realizar sonhos nos dá força para acreditar que a vida continua, numa boa”, disse o servidor público de profissão e jardineiro por vocação.

A técnica de enfermagem Bruna Roberta e os integrantes do grupo “Entre Amigos” agora querem promover roda de samba na casa de “Seu Zé” — Foto: Arquivo pessoal

A iniciativa começou a tomar forma depois que a técnica de enfermagem Bruna Roberta Nascimento Oliveira escutou de “seu Zé” que seu grande sonho na vida era participar de uma roda de samba e poder tocar seu pandeiro, algo que fazia somente junto a amigos.

Bruna Roberta e a equipe do HC se mobilizaram para realizar o sonho dele. Para isso, tiveram a ajuda de uma banda profissional de samba e transformaram a ala “E” do hospital na sonhada roda de samba do paciente.

A técnica de enfermagem, que atua na profissão há cinco anos, também acredita que possibilitar a realização de desejos e sonhos ajuda na recuperação de doentes, mesmo em casos clínicos complexos.

“Quando um paciente recebe carinho, ou consegue fazer coisas que nunca tinha feito, ele ganha um ânimo que é fundamental para seu quadro clínico. A felicidade ajuda a melhorar a saúde”, defende a Bruna Roberta.

O servidor público admite que o primeiro sentimento no dia da roda de samba foi de surpresa, mas logo em seguida ele foi tomado pela felicidade. “Seu Zé” empunhou o pandeiro que só tocava “de brincadeira”, em bares e com amigos, e acompanhou os acordes dos músicos profissionais.

“O hospital é um ambiente que precisa de momentos de alegria, ele não deve ser apenas um lugar de lágrimas”, ressalta.

Para o músico Will Ribeiro, violonista do grupo Entre Amigos, a experiência de realizar dentro de um hospital o sonho de um paciente foi inesquecível.

José da Penha faz tratamento paliativo por conta de um câncer: “Realizar sonhos nos dá força para acreditar que a vida continua” — Foto: Divulgação

“Estamos em êxtase ainda, porque não só o ‘Seu Zé’ se empolgou, mas todos lá no HC se envolveram com a iniciativa. Não sei o quanto contribuímos para a recuperação do paciente, mas reforçamos a convicção de que a música promove milagres”, diz o músico.

Segundo Will Ribeiro, a previsão é que em breve uma nova roda de samba aconteça, e de novo com “Seu Zé” no pandeiro. Amigos, familiares e funcionários do HC já estão se mobilizando para que o samba agora seja entoado na casa do paciente.

Fonte: G1

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial. Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.