Faça um pedido! Chuva de “estrelas cadentes” vai cortar o céu nesta terça

Está esperando avistar uma estrela cadente para pedir que 2021 seja um ano melhor que 2020?

Se prepare porque durante a madrugada teremos não uma, mas várias.

Na verdade, trata-se da chuva de meteoros Leônidas, que está prevista para acontecer entre 3h50 e 5h13 da manhã desta terça-feira (17), mas já a partir da meia-noite você pode conseguir observar o fenômeno.

“Um ligeiro aumento da atividade tênue pode ocorrer neste intervalo de tempo, que é favorável para a América do Norte e do Sul”, afirma a AMS (Sociedade Americana de Meteoros) sobre as Leônidas.

Como quase não teremos o brilho da Lua este ano — ela estará 5% cheia, de acordo com a AMS — essa pode ser uma boa oportunidade para fazer aquele pedido.

Segundo o astrônomo Thiago Gonçalves, do Observatório do Valongo (UFRJ) e colunista de Tilt, antes da meia-noite vai ser impossível observar o fenômeno.

“O radiante está abaixo do horizonte, então só daria para ver se o meteoro atravessasse um pedaço grande do céu. A partir da 1h da manhã, isso vai melhorando. É essa segunda metade da noite que é ideal [para observação], olhando na direção Nordeste, mais ou menos, dependendo de onde no Brasil você estiver”, explica.

Claro que para observar o espetáculo o céu da sua cidade vai precisar estar sem (ou com poucas) nuvens. A boa notícia é que você não precisa de telescópios ou binóculos para visualizar o fenômeno, ao contrário, você deve evitar usar esse tipo equipamentos porque eles restringem a área do que você enxerga.

A recomendação é buscar um local escuro, que tenha pouca iluminação artificial, deitar no chão e olhar diretamente para o céu.

Os meteoros devem aparecer nas imediações da constelação de Leão — sacou agora porque a chuva se chama Leônidas? (Alguns aplicativos de observação astronômica, como o Skywalk, Starchart, Sky Safari ou Stellarium, podem ajudar você a se localizar).

A chuva acontece todos os anos sempre no mês de novembro.

Esse ano devem “cair” de 15 a 20 meteoros por hora no nosso céu, e não estão previstas grandes explosões. Ainda assim, as Leônidas são meteoros impressionantes, brilhantes e coloridos, que muitas vezes deixam um rastro de luz verde no céu, mesmo depois de o meteoro desaparecer.

O que é a chuva de meteoros Leônidas?

O fenômeno ocorre sempre que a Terra passa perto da órbita do cometa Tempel-Tuttle, cuja composição básica são os metais ferro e magnésio (daí a cor esverdeada das luzes). Seus destroços entram em combustão ao penetrarem na nossa atmosfera.

Esses pedaços do cometa, originários da aproximação do Tempel-Tuttle ao Sol, não representam nenhum risco ao nosso planeta.

O Tempel-Tuttle completou tantas viagens ao redor do Sol que seus restos são encontrados pela Terra todo mês de novembro, independentemente da posição do cometa. Segundo a AMS, esse ano o nosso planeta deve passar perto do caminho criado por ele no ano de 1600.

A última vez que o cometa passou pelo Sistema Solar interno foi em 1998 e espera-se que ele esteja mais próximo do Sol novamente em 2031.

O cometa completa a órbita solar a cada 33 anos e é a cada intervalo de cerca de 33 anos que as chuvas se tornam mais intensas. A última delas foi em 2001.

Se você perder essa chuva de meteoros, não fique triste. Este ano ainda temos outras duas “chuvaradas” desse tipo: as Geminídeas (com picos entre 13 a 14 de dezembro) e as Ursids (com picos de 21 a 22 de dezembro).

Fonte: TILT UOL

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial.Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.