Período de reprodução dos escorpiões inicia em agosto

CCZ já realizou mais de 1.100 visitas em busca de escorpiões neste ano

A Prefeitura, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), já capturou 166 escorpiões e realizou 1.135 visitas em busca do animal, de janeiro a julho deste ano.

O departamento alerta e orienta a população a respeito dos cuidados que devem ser tomados para evitar o animal.

De acordo com o CCZ, os escorpiões se reproduzem a partir de agosto. Neste período, tendem a sair de seus esconderijos, que normalmente são em entulhos, materiais de construção, madeiras e folhas. Além disso, ralos abertos, pias destampadas, portas mal vedadas, e buracos nas paredes e forros são possíveis entradas destes animais para o interior das residências.

Já o responsável pelo Centro, Robison Luiz, explica que também é necessário se atentar ao acúmulo de matéria orgânica, como restos de alimentos, folhas e frutas caídas; pois ela atrai insetos que alimentam o escorpião. Segundo Robison, o Ministério da Saúde não recomenda o uso de venenos contra estes animais, devido à falta comprovação científica da eficácia.

“Não existe veneno eficaz contra estes animais, inclusive o Ministério da Saúde não recomenda o uso destes produtos, pois biologicamente os escorpiões são muito resistentes, e percebem facilmente o perigo por meio de seus sentidos aguçados. O uso de causa o efeito desalojante destes animais, ou seja, fazem com que eles saiam de seus esconderijos, aumentando o risco de acidentes. Por isso, é importante que o munícipe faça a sua parte e siga às instruções passadas pelos agentes do CCZ”, enfatizou.

Segundo Robison, assim que avistar o escorpião, o munícipe deve ligar no CCZ, pelo telefone (14) 3404-2200, para que os agentes verifiquem o local, evitando a reprodução e possíveis acidentes.

Ele informou que os aracnídeos capturados são armazenados e posteriormente levados ao Butantã, onde são utilizados na produção de soros antiescorpiônicos distribuídos na região.

“Em julho, realizamos 185 visitas e capturamos 25 escorpiões, porém os cuidados devem ser redobrados, pois ele entrará em período de reprodução neste mês. Ao ligar no CCZ, o munícipe deve informar se encontrou o animal dentro ou fora da residência; após a notificação, vamos ao local, verificamos a residência e quintal e vizinhança, e orientamos o morador e vizinhos, para evitar novos aparecimentos e possíveis acidentes na região”, explicou.

O secretário municipal de Saúde, Miguel Ângelo de Marchi, salientou que durante a pandemia do novo vírus, os trabalhos ocorrem de acordo com as recomendações das autoridades de saúde, para preservar os agentes e os munícipes.

Segundo Miguel, a população deve reforçar os cuidados, pois desta forma evita acidentes com escorpiões em um período que o sistema de saúde está focado no atendimento e tratamento do coronavírus.

“Durante a pandemia, a população tende a ficar mais tempo em suas residências para respeitar o distanciamento social, sendo fundamental garantir a segurança contra estes animais. Para isso, o munícipe deve reservar um tempo para realizar a limpeza e organização de seu quintal. Se cada um fizer a sua parte, as chances deste animal se reproduzir e causar novos surtos e acidentes são menores, permitindo que a atenção aos atendimentos e tratamentos do novo vírus seja maior” , disse.

Identificação de um acidente com escorpião

Segundo o CCZ, a picada deste aracnídeo não deixa marcas no momento, porém a dor é intensa.

Após a picada, o escorpião costuma ficar próximo ao local; e há casos, como os que envolvem crianças e idosos, em que a vítima não consegue verbalizar ou explicar o incidente, e pode ter os sintomas confundidos com outros problemas, dificultando o tratamento e ocasionando até o óbito.

Os profissionais da Santa Casa estão aptos a identificar e realizar os procedimentos adequados referentes a acidentes com estes animais.

Atendimento de acidentes com escorpiões

A Santa Casa de Misericórdia de Tupã é o centro de referência em atendimento de casos de acidentes com escorpião do tipo Tityus serrulatus.

Portanto, ao invés de se dirigir às Unidades Básicas de Saúde (UBSs), ou Postos de Saúde da Família (PSFs), a população deve procurar o hospital imediatamente.

O hospital possui o soro antiescorpiônico, que é a substância mais eficaz para o tratamento em caso de envenenamento causado pelo animal.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Imprimir

Sobre o autor

Equipe Tupãense Notícias

Equipe Tupãense Notícias

O portal Tupãense reúne os melhores produtores de conteúdo da região para fornecer a você notícias de alta qualidade.

Mais notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Últimas notícias

Proibida a reprodução total ou parcial.Para licenciar este conteúdo e reproduzi-lo entre em contato com nossa equipe comercial.